Blogs do Ano - Nomeado Família
logo

pub_carrossel_horz2.jpg

img

Vida

Não vale a pena pensar em detox digital, vamos antes fazer um reset

Por Inês

Tem-se falado muito ultimamente em detox digital. As horas que passamos espetadas em frente ao computador, com a cara enterrada nos telemóveis, sempre a par das redes sociais, sempre a receber mensagens, a ter de responder a emails, é tudo demais, estamos todas exaustas e parece que não conseguimos fugir. Sentimos que temos de nos drenar do digital, que cortar o cordão com a net, talvez de vez, talvez de forma radical. 

Este verão muitas pessoas à minha volta ensaiaram um detox digital. Fosse por ser planeado, fosse por o local de férias não ter rede, o "detox" dava-se ao não se aceder às redes de todo. Cold turkey. Sabe lindamente, é uma sensação de liberdade incrível, literalmente desenterramos a nossa cabeça e apreciamos a paisagem, mas quando se volta ao telemóvel, volta-se inevitavelmente às mesmas rotinas, por vezes com força redobrada.

Eu preferi não declarar guerra ao digital, mas apenas pô-lo no seu lugar, sossegado. Soube-me lindamente esquecer o telemóvel em terra quando ia à praia, deixar os blogs em pausa durante uns dias seguidos, apenas com um post aqui e ali., livre de obrigações e amarras. Quando havia tempo, pegava no telemóvel, naturalmente. Foi óptimo!

Voltei de férias com a intenção de continuar a pôr o digital no seu devido lugar, não longe, mas a manter uma distância reverencial. Não quero fazer um detox digital, eu não posso nem quero livrar-me do digital, eu quero conviver com ele de uma forma mais equilibrada e saudável. Eu quero antes fazer um reset digital, por o programa a correr de forma mais esquilibrada.

Há algumas medidas que tomei e vou tomando para cumprir com esta resolução de ano novo lectivo, aqui ficam, caso vos possa ajudar também:

- Assim como deixava o telemóvel em casa para ir para a praia, também posso deixar o telemóvel em casa para ir jantar fora ou ir ao cinema... Basta esquecê-lo a carregar.

- deixar de seguir pessoas, páginas, contas do instagram ou facebook que nos façam sentir mal. Se seguir uma conta de instagram nos incomoda, faz-nos sentir mal connosco próprias, ou que temos de ser diferentes, ou sentir que somos piores em comparação, é porque essa conta nos prejudica e temos de manter a distância. Carregar em "deixar de seguir" e pronto, a fonte está cortada.

- Aproveitar o embalo e continuar a riscar o que não interessa: newsletters que apenas nos enchem o inbox de trampa, "amigos" de facebook que nem conhecemos, aplicações que não usamos.

- Instalar aplicações como a The Freedom App ou App Detox (para Android), permite-nos criar limites de tempo em determinadas aplicações, bloqueá-las ou mesmo bloquear a internet toda, por forma a obrigar-nos a desligar para fazer outras coisas.

- Usar mais vezes o "modo avião". Eu ligo este modo sempre antes de dormir, mas também já tenho feito de dia, quando já não suporto mais as intermináveis notificações. Em vez de me zangar mentalmente com as pessoas ou desesperar com o telemóvel, simplesmente "apanho um voo" e desligo. Fui!

- Vale a pena ver as configurações do telemóvel e ver para cada aplicação, que tipo de notificações queremos receber. De certeza que montes delas vivem bem sem notificações push! 

- A partir de determinada hora, acabou-se a net. Uma ou duas horas antes de nos deitarmos é a altura ideal para relaxar e preparar uma boa noite de sono, reduzindo o ruído mental (e as ondas magnéticas) criados pelo telemóvel.

- Ao fim de semana, não postar, não ligar, desconectar para ligar aos nossos amores verdadeiros, os que estão ao alcance do nosso abraço.

 

Clique na Imagem para ver a Galeria

squareimg

Deixe o seu comentário

Publicações relacionadas

Instagram