logo

pub_carrossel_horz2.jpg

img

Mãe

The Milky Way ou a descoberta da amamentação

Por Inês

Amamentar não é definitivamente tarefa fácil. Exige muito de nós, mentalmente, fisicamente. Basta pensar que é juntar às exigências de 24/24 horas por dia de tratar de um bebé recém-nascido a literal ligação física e emocional de o ter ligado ao nosso corpo, sempre. Essa ligação é animal, visceral.

Tornar-se pai inspirou o fotógrafo Vincent Ferrané a criar uma série de fotografia, compilado no livro The Milky Way, que presta a crua mas bonita homenagem ao acto de amamentar, tantas vezes resguardado ou mesmo oprimido.

Neste fotobook poderoso e íntimo, com fotografias de aspecto leitoso (pode ver na galeria, abaixo), Vincent Ferrané fotografou uma das coisas mais naturais do mundo - a amamentação. Após o nascimento do filho, o fotógrafo francês ficou impressionado com a força e a resiliência da sua mulher durante esses primeiros momentos - semanas, e iniciou um projeto de seis meses para documentar como ela e o filho de ambos se ligaram através dele. The Milky Way, a série resultante, desmistifica um acto que tantas vezes é marginalizado.

"Fiquei muito impressionado pela beleza desses momentos", explica Ferrané. "Quando eu digo beleza, não quero dizer que é pura alegria - são tempos ambivalentes de força e emoção, por um lado, mas também difíceis e cansativos".

"Tirar fotos de pessoas e momentos que você realmente ama é o mais importante", diz ele. "Durante a amamentação, como pai, você está envolvido emocionalmente, mas já está numa posição distante, então tirar fotos deu-me um papel como uma espécie de "espectador ativo". 

O título da série é uma referência à mitologia grega, na qual Hera, a deusa da família e do parto, criou a Via Láctea com o leite que jorrava do seu peito. As fotografias são dotadas de um sentido do sublime, e, no entanto, eles equilibram esses símbolos poéticos com a realidade quotidiana, pois a amamentação torna-se uma parte central da vida familiar.

"O lado vernáculo desta experiência foi muito importante para mim", diz Ferrané. "Ele mostra como o bebé gradualmente se transforma numa parte tão grande da nossa existência. Então, eu quis colocar as chamadas imagens "nobres" de amamentação ao mesmo nível  das experiências quotidianas com as quais as mulheres que amamentam estão bastante familiarizadas, como a mama engorgitada que é aliviada num banho, ou um refluxo do bebé.".

Esta questão de fundo pode ajudar a combater um aspecto menos positivo da amamentação - as baixas taxas de amamentação nos países ocidentais e as ocasiões em que as mulheres são envergonhadas pela amamentação pública. Ferrané admite que não teve isso em mente quando começou o projeto, mas acrescenta que certamente é algo que ele considerou quando publicou o livro.

"Fazer esta série não me faz especialista em "amamentação" como uma questão social, mas durante o meu envolvimento com essas imagens, com tristeza eu percebi o quanto as mulheres ainda precisam lutar para normalizar a amamentação", diz ele. "A amamentação em público é complicada e quando a minha mulher voltou ao trabalho, tirar e amazenar leite criou momentos delicados. Não havia disponível um espaço privado nem abertura para isso [no seu local de trabalho]. Uma pessoa tem de ser realmente militante para amamentar além das 10 semanas na França, eu acho ".

The Milky Way destina-se a fazer parte deste debate e a apresentar uma mulher forte na sua maior força, e Ferrané diz que isso provocou uma forte reação em sua audiência - positiva e negativa. "Talvez as mães não tenham permissão para falar livremente sobre essas experiências", diz ele. "Devido à autocensura, às vezes parece que as mães têm que parecer perfeitas e dizer que foi apenas uma experiência alegre.

"Mas as coisas estão a mudar e a calorosa recepção que estas imagens tiveram mostram que uma boa forma de normalizar a amamentação é olhar para todos os aspectos - suas alegrias incríveis, suas dores ocasionais, suas constantes exigências".

Há elementos de nudez no livro, que Ferrané diz que são feitos deliberadamente para recuperar o peito como forma natural de alimentação e alimentação, em vez de apenas como fetiche sexual, o que levou a uma atitude prudente em relação à amamentação. "Minha esposa e eu concordamos que elementos de nudez na série, como um peito em lactação, por exemplo, não eram ambíguos, mas estavam revelando um papel de mãe de uma maneira significativa, moderna e forte.

Ferrané descreveu a experiência de ter um bebê como uma "pequena revolução" e diz que a criação desta série de fotos tornou o casal ainda mais próximos. "Simplesmente vi a amamentação como um acto de vida e amor que nem sempre é uma tarefa fácil, e que, portanto, merece encorajamento em todas as suas dimensões - psicológica, física e social", diz ele.

Quem não se reconhece nestas imagens?

Via Láctea é publicado pela Libraryman, € 45 http://vincentferranephotography.com/

Entrevista adaptada daqui 

Clique na Imagem para ver a Galeria

squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg
squareimg

Deixe o seu comentário

Publicações relacionadas

Instagram