logo

pub_carrossel_horz2.jpg

img

Mãe

A maldição da Mulher Moderna

Por Inês

Desde pequeninas, à nossa geração sempre foi ensinado que iríamos estudar e ser o que quiséssemos quando fossemos grandes. Podíamos ser médicas, juízas, jornalistas, cientistas, astronautas, o que quisessemos.

Entretanto, os filmes da Disney nos ensinavam que o amor é muito bonito e a felicidade estava ao nosso alcance e seria para sempre. E o nosso instinto maternal faz parte do eterno feminino, ser mãe é a nossa vontade desde sempre ou desde que as nossas hormonas começam num apelo irresistível.

Então, já crescidas, temos estudos, com talento e as oportunidades certas, temos profissão e emprego, com sorte e sabedoria temos amor e família. E um lar para cuidar e gerir. Mas o dia continua a ter apenas 24 horas e nós continuamos a ser apenas uma.

Temos tudo o que sempre quisemos na vida, apenas nos falta o tempo e os braços para tudo. E de repente, podemos ter tudo nas mãos e nos vemos a falhar, a correr de um lado para o outro e a deixar cair muitas bolas. Se temos o trabalho todo em dia, a casa está um caos; se os filhos têm sempre a mãe por perto, o patrão está a falar para as paredes ou a encher a caixa de mensagens. Se metade do dia vai para o trabalho e a outra metade para os filhos, a tua cara-metade não te vai por a vista em cima. E nós ficamos num aperto, cheias de problemas para tamponar e cheias de culpa por nos vermos a falhar. Afinal não podemos ter tudo.

É a maldição da mulher moderna: tu podes ter tudo, mas não ao mesmo tempo. Há sempre um lado que falha. Não temos tempo, nem cabeça, nem braços que cheguem para concluir duas tarefas em polos opostos até ao fim, quanto mais sermos as melhores em tudo o que fazemos. O perfeccionismo ficou lá longe, na nossa visualização romântica dos grandes planos para a vida. Mas a ideia que temos é que é possível ter tudo em modo perfeito ao mesmo tempo, que é o que é suposto.

Mas não, é impossível, e quem parece conseguir, tem um lado a falhar estrondosamente que está muito bem escondido.

É impossível ter todos os pratos da nossa vida a girar ao mesmo tempo e com a mesma força. Um dos pratos, se não dois, têm de parar de girar por um bocado. Tu podes ter tudo, mas não ao mesmo tempo.

Se a tua carreira vai de vento em popa e tens filhos, eles vão fazer horas extra na creche. Se queres trabalhar em casa para estar com os filhos, o teu trabalho vai aparecer feito tarde e a más horas. 

E então, qual é o problema? Se aceitarmos estas condições, essa imperfeição, não faz mal que um lado falhe, desde que tenhamos consciência disso. E não sintamos culpa! Numa fase a carreira está em primeiro lugar, noutra fase da nossa vida está a família, e a carreira tem de abrandar.

Mais! Podemos ter tudo, sim, e pode ser ao mesmo tempo, só não vai ser perfeito como imaginámos, vai ser uma aventura rendilhada de sucessos e fracassos um pouco por todo o lado. Nuns dias falha um lado, noutros dias falha outro. Se andarmos de falha em falha, encontramos um equilíbrio imperfeito, e é esse o nosso super poder, temos a super capacidade de manter um equilíbrio imperfeito que mantém tudo colado! 

Sempre sem culpa, não somos super mulheres. 

INSTAGRAM  |  FACEBOOK

Clique na Imagem para ver a Galeria

squareimg

Deixe o seu comentário

4 comentário(s)

Cláudia Santos07 de Setembro, 2017 às 16:38:11
Responder

Tão verdade... É bom sentir que não estamos sózinhas!

Liliana09 de Setembro, 2017 às 09:27:48
Responder

Concordo, obrigado pela partilha mostra que a imperfeição afinal é normal. Bjus

Ivone Coelho10 de Setembro, 2017 às 09:12:54
Responder

É tão, mas tão verdade Inês, penso k todas sentimos isso, mas nem todas conseguimos transmitir da maneira k o transmitis-te. Neste momento ando assim mesmo á toa, mas penso k já foi pior. Mãe de gêmeos de 13 meses,dona de casa, mulher,e trabalho ainda.se falho? Falho em todas elas, sinceramente acho k o trabalho é onde falho menos porque tenho horário a cumprir. Um bjinho e obg por transmitir a dura realidade, pois eu gostaria de ter mt mais tempo para os meus pequenotes.

Tânia silva26 de Setembro, 2017 às 23:53:00
Responder

Muito bom este texto!!! é isso mesmo! Sem culpa...porque quando não estamos com os filhos, está o pai, quando o pai não está, estamos nós e há dias em que estamos todos :) são assim as famílias modernas!! E temos de aceitar isso! Sem culpas :)

Publicações relacionadas

Instagram