logo

pub_carrossel_horz2.jpg

img

Mãe

Espaço Saúde da Mulher | E Depois da Gravidez? Para que serve o Pai?

Por Soraia Pires

Já falamos aqui, no Eu, Mãe do que se considera ser o papel do Pai durante a gravidez! Mas…e depois de o vosso rebento cá fora? Qual será o papel do Pai, consigo e/ou com o vosso filho? Já pensou nisso? Eu acredito que sim, que tenha pensado… Mas o seu companheiro deve ter pensado ainda mais, vá por mim.

Cada Pai, como cada Mãe e cada filho, é único, logo, não há nenhuma regra para se ser bom Pai, não há melhores Pais que outros! Há Pais e todos dão o seu melhor para cuidar dos seus filhos. Se nem sempre percebe o que ele faz, bem, isso são outros quinhentos e já la vamos.

O meu conselho, relativamente à presença do Pai nas sessões de Preparação para o Nascimento mantém-se, obviamente, pois acredito piamente que é de toda a utilidade do mundo ele estar, mesmo nas sessões onde abordamos o tema da amamentação, sim! Pai: se for assistir, vai perceber porquê!

Vou referir aqui uns pontos que podem servir de ajuda. Assim espero!

À Mulher deixo já um recado que quero que leia com atenção!!!!!!!

Não critique tudo! Não espere que ele faça as coisas à sua maneira, ele fará à maneira dele, como souber e puder, e acredite, ele vai dar o máximo para vos ver bem e felizes! Se implicar com tudo, ele vai desistir de fazer as coisas! Seja branda, sim? Só tem a ganhar!

Agora para o Pai mas que a Mãe também deve ler:

 

Para relembrar: já na reta final, saiba que, ter conhecimento das rotinas hospitalares, do local onde decidiram ter o vosso filho, é bastante importante, para não se sentir perdido naquele espaço, o que será com certeza menos um fator de stress.

 

Quando a data do parto se aproxima, saber o que pode fazer para ajudar, nas fases de dilatação e expulsão, é uma mais-valia, mas, se acha, até ao último minuto, que vai desmaiar na sala de partos, assuma isso, converse atempadamente com a sua companheira, e tentem encontrar uma solução que minimize o desconforto de ambos. Por exemplo, escolher um elemento “suplente” para, caso chegue ao dia P, e não consiga – de todo – estar presente na sala. Dizer que não, não e não e depois ir (deixar o tal suplente na expectativa para depois lhe dar com os pés), ou o contrário, não é simpático!

Depois de o bebé nascer, a coisa muda muito, outra vez! Aqui, vai poder desfrutar dos primeiros momentos de vida do seu filho, mimar aos dois, que passaram por um trabalho dos diabos e bem merecem. Um pormenor, não crie muitas expectativas em relação ao aspeto do bebé e da Mãe, ok? Vão estar os dois com ar de quem fez a prova do Iron Man, mime-os para recuperarem rápido!

Ora, depois da Maternidade vem? A casa! Exatamente. Em casa, já não há rotinas hospitalares, nem médicos, nem enfermeiros, há apenas vocês três (no caso de serem Pai e Mãe de primeira viagem).

E aqui, caro Pai, no aconchego do lar, tem muita coisinha a fazer, se assim o desejar.

Leia abaixo algumas sugestões que, só aceita se quiser, claro. O meu objetivo é facilitar-lhe a vida, mas falo para muitos Pais, e não espero que tudo se aplique a todos!

 

– Nos primeiros dias, a Mãe pode sentir-se insegura, talvez não seja pior apoiá-la, reforçando sempre a sua autoconfiança.

– Partilhar os cuidados com o bebé. Essa ideia de que homem não muda fralda é um bocado fora de moda! Muda sim, e fica um charme!

– Também já não se usa, esperar que a Mulher faça tudo. Que seja Mãe, esposa, dona de casa… Substitua-a em algumas tarefas domésticas. Afinal, a casa também é sua, portanto, da sua responsabilidade.

– Talvez os primeiros dias sejam uma verdadeira confusão, vai ser necessária paciência, de ambos, para se reorganizarem. Seja presente, sem criticar. Se entrar por aí vai ver que ela, no que toca a criticar, estando carregadinha de hormonas, lhe ganha dez a zero. É uma guerra que não vai querer comprar, garanto!

– Vão falhar! Os dois! Vão fazer coisas que depois percebem que não fariam se fosse agora! Mas, saibam rir disso. Na Parentaliade não há certo e errado. Há o fazer o melhor que se sabe no momento. Trata-se de uma aprendizagem constante.

– Se vir que a sua companheira está cansada… Não aceite visitas, transforme a sua casa num sítio calmo e tranquilo, só para os três se namorarem e descansarem. O resto da malta tem tempo para vos visitar.

- Talvez não seja fácil esta, mas, organize-se no trabalho, e outros compromissos, para que, não tenha que deixar aos dois sozinhos, pelo menos, nos primeiros quinze dias. Se tal não for possível, recrute alguém da vossa equipa para o substituir enquanto, está ausente. Aqui, assegure-se que o seu substituto vai ajudar, e não sobrecarregar, a Mãe.

 

Para terminar, esteja ciente de que:

– A sua companheira estará a passar por imensas alterações físicas e emocionais, algumas sobre as quais pode não ter assim tanto controlo.

– A recuperação física e emocional dá-se de forma gradual, e progressiva, não pressione! Não espere que vossas rotinas como casal vão retomar-se à velocidade da luz.

– Esteja atento aos sinais! Algumas mulheres podem entrar em estados depressivos, se os perceber e se persistirem, isto é se forem prolongados no tempo, recorra a um profissional da área para vos ajudar.

– Por fim, não se esqueça de todos os cuidados que deve prestar ao bebé e Mãe! Mas… dos cuidados que deve continuar a ter consigo também!

 

Beijinhos,

S.

Encontre a Soraia e tudo o que ela pode fazer pela sua gravidez e pela saúde da Mulher no seu Espaço S (antigo Estamos Grávidos)

INSTAGRAM   |   BLOGLOVIN   |  FACEBOOK

Clique na Imagem para ver a Galeria

squareimg

Deixe o seu comentário

Publicações relacionadas

Instagram